segunda-feira, 18 de maio de 2009

"DEPRESSÃO, O MAL DO SÉCULO"


INTRODUÇÃO – “Estou deprimido”, esta frase está na moda. Um conselheiro clínico diz que a metade de seus pacientes o procura porque está deprimida.
A depressão é a espécie mais comum do comportamento anormal.
Algumas vezes a depressão recebe outros nomes tais como: “tristeza profunda”, “melancolia”, “desânimo” e outros similares.
Uma em cada dez pessoas sente depressão. Há também inúmeros casos de crianças depressivas. Estamos vivendo a “era da melancolia”. Façamos algumas perguntas para entender melhor esta matéria:


I – QUAIS OS SINAIS DA DEPRESSÃO?

Podem variar, os mais comuns são: Sentimentos de baixa auto-estima, sensação de abandono, sentimento de indignidade, perda do amor próprio, sentimentos de pessimismo, medo do futuro e uma profunda tristeza.
Em conseqüência destes sentimentos as pessoas se comportam de maneira anormal, perdem o interesse pelos acontecimentos da vida, algumas vezes afastam-se das suas atividades, relaxam da sua postura física, queixam-se de tarefas que são simples, que para eles parecem enormes, reclamam da comida, dormem pouco, não se concentram, sentem dores musculares, dores de cabeça e vários outros distúrbios.
É interessante que a Bíblia trata deste tema. A depressão é uma forma antiga de anormalidade psicológica. Vejamos por exemplo estes sintomas na vida de Jó:
Tristeza extrema: “Por que se concede luz ao aflito, e vida aos amargurados de alma?...” (3:20).
Desejo de morrer: “Que anelam pela morte sem que ela venha, e cavam em procura dela mais do que tesouros escondidos...” (3:21).
Perturbação do sono: “Havendo-me deitado, digo: Quando me levantarei? Mas comprida é à noite, e farto-me de me revolver na cama até a alva...” (7:4).
Pessimismo em relação à vida: “O homem, nascido da mulher, é de poucos dias e cheio de inquietação” (14:1).
Sensação de desamparo: “Não tenho repouso, nem sossego, nem descanso; mas vem a perturbação” (3:26).
A vida lhe parecia sem sentido: “Eu sou inocente; não estimo a mim mesmo; desprezo a minha vida” (9:21).
Sinais físicos de tristeza: “De mágoa se escureceram os meus olhos, e todos os meus membros são como a sombra” (17:7).

II – QUAIS AS CAUSAS DA DEPRESSÃO?

Os estudiosos têm classificado a depressão de duas maneiras, que são: Normal e Anormal.

1. NORMAL
De tempos em tempos, todos nós sentimos falta de energia, temos de nós uma imagem negativa ou uma sensação de desamparo. Essas características são as mesmas nas formas mais graves de depressão, porém há uma diferença. Geralmente podemos indicar uma causa clara: recuperação de uma enfermidade, exaustão por ter-se fadado, ou a superação da perda de um parente ou amigo íntimo. E essa depressão não se arrasta por meses a fio. A mulher sabe que pode sentir-se deprimida durante alguns dias do mês, sendo alterado o seu gênio pela sua menstruação. Sabe o que causa a depressão, e espera que ela passe. O rapaz que perdeu a namorada e se sente arrasado e solitário vencerá esses sentimentos com o tempo e com a amizade de outras pessoas. A depressão se torna anormal quando persiste e nada parece ajudar.

João Calvino fala da depressão temporária de um modo exemplar.
“Contudo, parece um contra-senso, quando Paulo diz que os fiéis, que exultavam com alegria, estavam ao mesmo tempo entristecidos, pois esses sentimentos se contrapõem. Mas os fiéis sabem por experiência como essas duas coisas podem coexistir, mais do que podemos expressá-los com palavras. Todavia, para explicar o assunto em poucas palavras, podemos dizer que os fiéis não são toras de madeira insensível nem se despiram a tal ponto de sentimentos humanos, mas são afetados pela tristeza, temem o perigo, consideram a pobreza um mal. E as perseguições coisa dura e difícil de ser suportada. E, daí, eles sentem tristeza por causa dos males; porém ela é mitigada pela fé, pois eles ao mesmo tempo não cessam de se regozijar”

Não nos deve surpreender o fato de que a depressão pode ser uma experiência cristã normal, se tão-somente nos concentrarmos em algumas declarações da Escritura a respeito do estado íntimo do crente. Jesus, no Getsêmani, teve a liberdade de admitir que a sua alma estava excessivamente triste, até o ponto de morrer. O autor do livro de Hebreus lembrou aos seus leitores que o castigo do Senhor fora doloroso e não agradável (Hb. 12:11).


2. ANORMAL
O que distingue essa espécie de depressão é uma tristeza mais intensa e permanente. “A pessoa sente-se triste, deprimida, desanimada e com freqüência culpada, abandonada, perdida e vazia. Quanto mais severa for a sensação de depressão, mais provavelmente sobrevirão os sentimentos de abandono, desânimo, desespero e pensamentos associados, de morte ou suicídio”. Quando uma pessoa está neste estado, a idéia de se alegrar parece impossível. Ele ou ela parece ter perdido a capacidade normal de sentir prazer e jovialidade.

Gary R. Collins cita 05 desdobramentos da depressão anormal ou séria; que são:

1. Causas Físico-Genéticas – Falta de sono, alimentação, efeitos de entorpecentes, contagem baixa de açúcar no sangue, etc.

2. Causas Ambientais – Filhos de divorciados tendem a sofrer depressão. Ambientes hostis também causam esse mal.

3. Incapacidade – Quando uma pessoa se encontra em uma situação sobre as quais ela não tem controle, quando ela não consegue reagir, a depressão se instala.

4. Perdas – Quando pessoas perdem amigos, parentes, bens, empregos, posições, saúde, liberdade, podem caminhar para um estágio depressivo.

5. Culpa – Quando a pessoa sente que falhou ou fez algo errado, surge a culpa e juntamente com ela a autocondenação, frustração, desesperança e outros sintomas da depressão.

III – COMO OBTER VITÓRIA SOBRE A DEPRESSÃO?

Segue alguns conselhos que ajudarão:

1. Procure um médico – Veja se o seu problema não é biológico. Quem sabe trocar de colchão, dormir mais, trocar a alimentação, emagrecer , caminhar, podem fazer diferença.

2. Mude de ambiente ou de atitude – Experimente mudar de casa, de lugar, pintar algumas paredes com novas cores, aproveitar melhor os momentos de laser, visitar os parques, ouvir músicas espirituais. Se não puder mudar o ambiente ou de ambiente, mude de atitude. Desafie o seu modo de pensar pessimista. Pense a vida com mais alegria. Permite que Deus promova a renovação da sua mente (Rm. 12:1 e 2).

3. Conviva com gente sadia – Se na crise depressiva a pessoa se prender a pessoas também depressivas, ambos se perderão. Encontre gente bonita por dentro, gente equilibrada, sóbria, cheia de Deus. Não veja os noticiários durante algum tempo.

4. Aprenda a tratar com a culpa – Pecado confessado é pecado perdoado (I Jo. 1:9). Satanás é que tem o prazer de acusar os salvos (Ap. 12:10). Peça perdão a Deus pelos seus pecados e perdoe as pessoas que pecaram contra você. O que a Bíblia ensina é: “Se possível, quando depender de vós, tende paz com todos os homens”. (Rm. 12:18). Permita que o sangue de Cristo purifique você de todo pecado (I Jo. 1:7). Tire esse peso de suas costas e lance-o sobre Jesus (I Pe. 5:7).

5. Aprenda a esperar em Deus – Olhar para Deus é olhar para a pessoa mais sadia que existe. Jesus, que é a expressão exata de Deus (Hb. 1:3), nos mostra como viver realisticamente. Quem experimenta o grande amor de Deus demonstrado na cruz do calvário vive cheio de esperança (Rm. 15:13).

O apóstolo Paulo, escrevendo na prisão, declarou certa vez que havia aprendido a viver contente em toda e qualquer situação. Por saber que Deus nos dá forças e pode suprir todas as nossas necessidades, Paulo havia aprendido a viver com alegria, tanto na pobreza como na prosperidade. Através de suas experiências e, sem dúvida, mediante o estudo das Escrituras, Paulo aprendera a confiar em Deus e isto ajudou a evitar a depressão. Da mesma forma que nos dias de Paulo, a convicção de que Deus está vivo e controla tudo pode dar esperança e encorajamento hoje, mesmo quando nos inclinamos ao desânimo e desesperança.

6. Espere o Desânimo. Ouçamos Collins:
A segunda estrofe de um hino muito conhecido afirma que “jamais devemos nos sentir desanimados” se levarmos tudo a Deus em oração. Este é um ponto de vista popular para o qual não existe apoio nas Escrituras. Jesus nos advertiu de que teríamos problemas e o apóstolo Tiago escreveu que enfrentaríamos provações e tentações como um teste da nossa fé e para ensinar-nos a ser pacientes. Seria artificial sorrir ou rir em tais circunstâncias, fingindo que nunca desanimaremos.

Observe o Senhor no momento da crucificação. Jesus se achava “profundamente aflito” e reconheceu sinceramente a sua agonia. Não podemos imaginá-lo sorrindo no Getsêmani ou na cruz, tentando convencer a todos de que estava cheio de júbilo e “transbordando” de felicidade. Jesus confiava no Pai, mas ele esperava sofrer e não ficou surpreso quando este sofrimento veio sobre ele.

Quando somos suficientemente realistas para contar com o sofrimento e bastante informados para saber que Deus está sempre no controle, podemos então tratar melhor do desânimo e evitar cair em depressão profunda.

CONCLUSÃO –Contudo permaneça firme... esse mal vai passar. e lembre que varios homens de Deus passaram por isso.

vou encerrar com uma frase" Na vida não importa o que estamos passando no momento e sim para qual direção estamos indo"

não importa a sua luta hoje, nós estamos indo em direção ao nosso milagre e claro em direção ao céu.

2 comentários:

Willians Ferreira Pires disse...

Muito bom...

Somou aos meus conhecimentos...

Deus o abençoe mais e mais...

Igreja Metodista em Divino - MG.

Pr. Willians.

Edvaldo Francisco Minhano disse...

Sou Pastor na Igreja Batista Adonai em Bauru/SP
Claro que as recomendações do irmão são muito válidas. Mas acredito que o problema também está em familia, onde a maioria dos traumas e conflitos acontecem. E nem sempre a familia esta disposta a mudar seus relacionamentos. Temos tido muitas lutas nesta área em nossa igreja, batava que as familias fossem melhores e muito mal seria evitado.
Amém pelo seu trabalho.
Que Deus o capacite cada dia mais.